Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

IPM-JP realiza mais de 3,4 mil provas de vida com aposentados e pensionistas no primeiro semestre deste ano

IPM-JP realiza mais de 3,4 mil provas de vida com aposentados e pensionistas no primeiro semestre deste ano


O Instituto de Previdência do Município de João Pessoa (IPM-JP) realizou este ano mais de 3.400 recadastramentos com aposentados e pensionistas vinculados ao Instituto. O procedimento anual e obrigatório, também conhecido como prova de vida, deve ser realizado, preferencialmente, no mês de aniversário do beneficiário. O agendamento para realização da prova de vida pode ser agendado previamente pelo site do IPM-JP.

A superintendente do IPM-JP, Caroline Ferreira Agra, explica que o número de recadastramentos está dentro do esperado para o primeiro semestre. Isso porque, historicamente, o segundo semestre concentra um maior volume de procedimentos para regularização. De janeiro a junho, foram realizados 3.444 recadastramentos, sendo 2.778 aposentados e 666 pensionistas.

“A prova de vida é necessária para que o IPM-JP possa manter o cadastro dos seus beneficiários atualizados, melhorando, assim, os serviços prestados, além de evitar fraudes e pagamentos indevidos”, explica Caroline Agra.

Para sua melhor comodidade, o segurado pode realizar o agendamento da prova de vida pelo site: IPMJP – Instituto de Previdência do Município de João Pessoa. No dia, será necessário apresentar documento oficial com foto que conste o número do CPF e um comprovante de residência atualizado. O IPM-JP fica localizado na Avenida Engenheiro Clodoaldo Gouveia, 166, Centro, e funciona das 8h às 14h.

Ainda que seja um procedimento padrão anual e de responsabilidade do segurado, o IPM-JP mantém contato com aqueles beneficiários que esquecem de realizar a prova de vida.

“Identificado que o beneficiário não realizou o recadastramento anual obrigatório, o Instituto, por meio de seu núcleo de assistência social e demais ferramentas de contato, inicia uma busca ativa, visando a regularização do seu cadastro. Em último caso, após diversas diligências e o não comparecimento do segurado para recadastramento, o benefício poderá ser suspenso”, ressalta Caroline Agra.



Link da fonte aqui!