Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Zé Trovão, Sérgio Reis, Oswaldo Eustáquio e outros são indiciados pela PF por ‘atos antidemocráticos’

Zé Trovão, Sérgio Reis, Oswaldo Eustáquio e outros são indiciados pela PF por ‘atos antidemocráticos’


A Polícia Federal indiciou o deputado federal Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão (PL-SC), o cantor Sérgio Reis e outras onze pessoas pela organização de atos antidemocráticos no 7 de Setembro de 2021. Segundo a PF, os indiciados defendiam o fechamento de estradas e o impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A informação é do site UOL.

Ao finalizar o inquérito, a PF indiciou Zé Trovão, Sérgio Reis e os demais nos delitos de incitação ao crime (pena de detenção de três a seis meses), associação criminosa (reclusão de um a três anos) e tentativa de impedir o livre exercício dos Poderes. No caso deste último crime, a PF os enquadrou na antiga Lei de Segurança Nacional, vigente na época dos fatos, com pena prevista de dois a seis anos de prisão.

A investigação foi aberta em 2021 a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), que detectou convocações nas redes sociais para manifestações antidemocráticas no 7 de setembro. Zé Trovão foi alvo de prisão na ocasião e ficou um mês foragido. No ano seguinte, ele foi eleito deputado federal e atualmente ainda usa tornozeleira eletrônica.

A PF concluiu que os investigados se articularam para realizar atos contra o Estado democrático. O inquérito foi enviado no mês passado para o procurador-geral da República, Paulo Gonet, que decidirá se apresenta denúncia contra os acusados. O caso está sob sigilo.

Entre os indiciados estão também o ex-presidente da Aprosoja (Associação Brasileira dos Produtores de Soja e Milho), Antônio Galvan, e o jornalista Oswaldo Eustáquio, acusados de incitação ao crime e associação criminosa.

O cantor Sérgio Reis afirmou que não iria se manifestar porque não foi notificado oficialmente do indiciamento. A defesa de Zé Trovão disse que não tinha conhecimento do inquérito e não respondeu. O empresário Antonio Galvan também não quis se manifestar.

Oswaldo Eustáquio classificou como “perseguição política” o indiciamento da Polícia Federal. “Isso se acentua porque se de fato a gente quisesse ter dado um golpe de estado, a gente teria dado em 2021. Havia um número muito maior do que no 8 de janeiro. Mas o objetivo nunca foi esse, e o 7 de Setembro de 2021 é uma prova que nós nunca avaliamos nenhum tipo de ruptura institucional. Agora, deixo claro também que nós nunca avaliamos uma ruptura com um golpe, mas avaliamos em 2021 e avaliamos hoje um impeachment do ministro Alexandre de Moraes. A base do meu indiciamento é a entrevista que fiz com o Zé Trovão, então estou sendo indiciado pelo exercício do jornalismo”, afirmou Eustáquio.



Link da fonte aqui!